Exposições e Exibições


Simultaneidade
Simultaneidade é uma videoinstalação do artista Marcelo Monteiro sobre a produção criativa no Vila Flores, com uma compilação de imagens em vídeo e foto de making of de projetos e trabalhos dos residentes do espaço cultural.
Público: interessados em arte, educação, tecnologia, moda e cultura
Horário: domingo, das 11h às 22h, no Vila Flores

 

Espaço Miolo Nerd
Espaço com vídeo games, pizzas e drinks nerds, organizado pela Mate Hackers – espaço coletivo do Vila Flores, onde os profissionais de tecnologia podem trabalhar em projetos e trocar informações e experiências.
Público: jovens a partir de 15 anos
Horário: das 14h às 22h, sábado, no Vila Flores

 

Vila Flores – Uma Experiência Aberta
Exposição HERTZ, de Peter Gossweiler e residentes do Vila Flores, com curadoria da artista Márcia Braga. A exposição faz parte do programa Vila Flores – Uma Experiência Aberta, uma iniciativa da Associação Cultural Vila Flores.
Horário: das 11h às 22h, domingo, no Vila Flores

 

MoFO [Mostra de Filmes de Ocupação]

O movimento de luta pela moradia e pelo direito à cidade cresce no Brasil e novas ocupações urbanas estão surgindo e fortalecendo a luta e a resistência democrática.

A primeira edição da Mostra de Filmes de Ocupação tem o objetivo de dar visibilidade a produção audiovisual recente realizada a partir dessas ocupações. Filmes que traduzem essa realidade brasileira em imagens e narrativas que nos ajudam a descobrir e pensar sobre quem são, como vivem  e os porquês dessa luta e desta resistência. E também a pensar o papel da produção audiovisual.

Horário: 16h às 18h, domingo, no Ateliê  Coletivo Ameixa – Vila Flores

PROGRAMAÇÃO

Nesta primeira edição a MoFO exibe filmes das ocupações 20 de novembro, Saraí e Lanceiros Negros (Porto Alegre); um documentário de uma ocupação no antigo Cine Marrocos de São Paulo e uma série de documentários produzidos nas ocupações de Izidora (Rosa Leão, Esperança e Vitória) em BH – estes, filmes que compõem a IZIdocs – Mostra Itinerante do Filme Documentário de Izidora.

RODA DE CONVERSA

Após a exibição haverá uma roda de conversa com a presença de alguns realizadores e moradores das ocupações envolvidos nos filmes: Ezequiel Morais (MNLM RS), Representante das Brigadas Populares-RS, Bruno Carboni (diretor) e Coletivo Catarse (realizadores).
Mediação de Juliano Ambrosini e Marcelo Gobatto, Coletivo Ameixa.

************

PROGRAMAÇÃO DETALHADA
OLHARES DA CIDADE

De Juliano Ambrosini e Marcelo Gobatto. RS, 2006, 20m.

Sinopse: O documentário acompanha o cotidiano de cinco personagens e sua relação com a cidade de Porto Alegre. Entre elas, Dona Maria, líder comunitária do bairro Rubem Berta.

OCUPAÇÃO LANCEIROS NEGROS RESISTE À REINTEGRAÇÃO DE POSSE

Coletivo Catarse. RS, 2016, 10m.

Sinopse: Madrugada no Centro de Porto Alegre. Policiais bloquearam todas as ruas que dão acesso à Ocupação Lanceiros Negros, para cumprir reintegração de posse solicitada pelo Governo do RS.

Mas na rua havia mobilização popular de apoio às pessoas na Ocupação, enquanto advogados tentavam suspender o despejo das 50 famílias que residem ali há mais de seis meses… Porto Alegre, 24 de maio de 2016.

OCUPAÇÃO 20 DE NOVEMBRO

Sinopse: Vídeos realizados pelo Laboratório Experimental em 2008/2009.

O TETO SOBRE NÓS

De Bruno Carboni. RS, 2015, 22m.

Sinopse: Ocupantes de um prédio abandonado recebem a notícia que podem ser despejados a qualquer momento. Enquanto Anna tenta lidar com a notícia, ela se depara com um misterioso homem deitado em sua cama.

MARROCOS

De Andrea Nero e Iajima Silena, SP, 2015, 8m.

Sinopse: O espaço do antigo Cine Marrocos é hoje ocupado por cerca de 500 famílias organizadas em torno de um movimento social pela habitação. O mesmo espaço há décadas atrás era cenário de importantes episódios da cinematografia brasileira. A palavra Marrocos transforma-se em ponte possível de acesso à culturas que possuem a prática nômade e o cenário desértico como elementos marcantes de um imaginário praticamente atemporal. O documentário utiliza-se destes elementos para abordar – privilegiando aspectos sensoriais e imagéticos – as realidades provisórias que atravessam a história de vida do Cine Marrocos e de seus atuais moradores. Marrocos é um documentário que aborda o tema da transitoriedade, criando relações com o imaginário do nomadismo que se identifica com o atual contexto urbano.

OCUPAR, RESISTIR, CONSTRUIR

Realização: Dayanne Naessa, Edinho Vieira, Juliano Vitral e Roberta von Randow. MG, 2016, 14m27s

Sinopse: Ocupar, construir e resistir é o lema das ocupações urbanas de Paulo Freire e de Izidora,que reúne o maior conflito fundiário do Brasil, localizadas na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Neste universo de luta e manifestações pela moradia própria e ocupação da cidade, descortina-se o cotidiano de seu moradores na construção da casa, no trato com a horta e nas brincadeiras de crianças e jovens.

CRIANÇAS DA IZIDORA!

Realização Coletiva. MG, 2016, 45s

Sinopse: Criança é criança em qualquer lugar e gosta de brincar.

MULHERES NA LUTA EM IZIDORA

Realização/Direção/Montagem: Fabiana Leite. MG, 2015, 6m09s.

Sinopse: A ocupação Izidora em terreno público na Região Metropolitana de Belo Horizonte está em ameaçada de despejo, sendo o maior confronto fundiário urbano atualmente no país. De um lado a subserviência dos governos e Tribunal de Justiça de Minas Gerais aos interesses de grandes empreiteiras; de outro lado 8 mil famílias no exercício legal e legítimo de luta pelo direito a moradia. E as mulheres, que estiveram junto e à frente no momento da ocupação, seguem firmes na resistência.

NA MISSÃO COM KADU

De Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia de Brito. MG/PE, 2016, 28m.

Sinopse:  Na luta por moradia em Belo Horizonte, um militante, sua câmera e seu povo enfrentam o poder dos cassetetes e das bombas de gás.

 


Generic placeholder image